Conhece estes novos novos sinais de trânsito? Entram em vigor no dia 20

© DR

Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) dá a conhecer as alterações à sinalização introduzidas pelo novo regulamento.

Fonte: noticiasaominuto.com

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) lança uma  campanha – ‘Novos sinais, maior segurança’ – que tem como objetivo dar a conhecer as alterações à sinalização, introduzidas pelo novo Regulamento de Sinalização do Trânsito (RST), que entra em vigor no dia 20 de abril de 2020.

As alterações do novo RST visam, esclarece a ANSR, o aperfeiçoamento e a atualização da sinalização rodoviária em conformidade com o Código da Estrada e em alinhamento com o Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária — PENSE 2020.

Com a alteração ao regulamento, será introduzido o sinal de zona residencial ou de coexistência, que indica a entrada numa zona de coexistência, concebida para a utilização partilhada por peões e veículos, onde vigoram regras especiais de trânsito.

São também introduzidos novos sinais de informação, novos símbolos de indicação turística, geográfica, ecológica e cultural, bem como a representação gráfica dos sinais dos condutores, dos agentes reguladores do trânsito e dos sinais luminosos.

No âmbito da medida A14.62 do PENSE, que tem como objetivo “aprovar e disseminar as disposições técnicas para apoio à conceção de zonas de circulação de baixa velocidade”, a ANSR aprovou o Manual de Apoio à implementação de ‘Zonas 30’ e o Manual de Apoio às ‘Zonas Residenciais ou de Coexistência’, que contemplam um conjunto de disposições técnicas que deverão servir de base à conceção de soluções seguras e inovadoras destinadas a promover o uso conjunto e harmonioso do espaço público pelos diversos utilizadores.

Com a colaboração de todos, vinca a Autoridade de Segurança Rodoviária, a divulgação do novo Regulamento de Sinalização do Trânsito “contribuirá para a melhoria da segurança rodoviária, especialmente dentro das localidades e para os utilizadores vulneráveis, com vista ao desígnio comum que é o combate à sinistralidade rodoviária”.